quinta-feira, 7 de julho de 2016

Quando você aprende a ficar sozinho

[Você pode ler este texto ao som de: Love Myself - Hailee Steinfeld]

Eu nunca fui uma pessoa de ficar sozinha. Não gostava da solidão de um sábado a noite sem um encontro ou um domingo a tarde no sofá. Se eu terminava, não demorava muito para já estar enrolada com alguém de novo. Eu nunca tinha me dado a chance de ficar completamente sozinha, sem beijar alguém, sem flertar com alguém. E depois de 6 anos (sim, 6 anos), resolvi me dar essa chance de ficar sozinha e me conhecer melhor.

Um fato interessante é que você finalmente percebe que não precisa estar em um relacionamento para ser completamente feliz. Sabe aquela frase que dizem muito por aí "A gente só é feliz em um relacionamento quando é feliz sozinho"? Pois é, pura verdade. Não tem como você colocar a sua felicidade nas mãos de alguém. E, principalmente, não tem como você amar alguém se você mesmo não pratica o amor por você.

Quando você decide ficar sozinho, começa a enxergar a vida de uma maneira mais simples e vê que tudo depende apenas de você. Qualquer mudança que queira para sua vida, qualquer experiência que queira viver, qualquer estudo, viagem, trabalho, conhecimento, momento, tudo tem que partir de você. Sua felicidade, sua bagagem emocional, suas memórias, suas histórias, tudo dependerá apenas da sua boa vontade de viver cada dia dessa vida.

Você abre algumas portas da vida, mas fecha outras. Fecha algumas janelas, mas abre aquelas que estavam até emperradas de tanto tempo que ficaram fechadas. Você vai tomando conta de cada pedacinho de você, vai fazendo só o que te faz bem, começa a criar mais confiança em você e deposita todas as suas fichas em seus próprios sonhos. E no meio disso tudo, desse autoconhecimento, você evolui de uma maneira que não imaginava evoluir. Desveste qualquer fantasia e tira qualquer máscara que usava para agradar alguém e com muito orgulho coloca o verdadeiro eu para jogo.

Quando você resolve ficar sozinho aprende que não é qualquer pessoa que vai te fazer bem, não é qualquer noitada que te atrai, que sua própria companhia pode ser a melhor coisa do mundo. Você se torna mais seletivo com o que quer fazer e como gastar seu dinheiro, tem a liberdade de simplesmente recusar qualquer programa que não seja interessante. Estar sozinho te torna livre para se tornar quem você sempre quis ser, evoluir o quanto quiser e aprender a se amar o máximo que puder.

Claro que relacionamentos tem seus lados bons, sem dúvidas. Mas quando você se permite se relacionar somente com você, a história é diferente. Dar um tempo em toda aquela pressão da sociedade para ter um relacionamento pode deixar a gente com parafusos soltos, mas uma vez que aprendemos a ser felizes sozinhos, não é qualquer pessoa que vai entrar na nossa vida. E nem qualquer pessoa que permanecerá.



Um comentário: